domingo, 14 de janeiro de 2018

Cadeia têxtil

e antes da etiqueta:
o que há na camiseta?

mãos
[e dramas]

plantio e colheita de algodão
[poeira calor chuva frio]

fibras que geram fios
fios que criam tramas
tramas que ganham recortes

tesouras
máquinas
[e cortes]

malhas que geram formas
formas que criam peças
peças que ganham vida

rolos
lâminas
[e mortes]

linhas agulhas 
pontos alinhavos
corpos na costura
[e sob sutura]

as posturas de quem
[embrulha sonhos e]
embala pacotes

as aventuras de quem
[se arrisca e]
faz o transporte

o peso de quem
carrega e descarrega
as cargas
[próprias e dos]
caminhões


o azar de quem
se desloca

[pra tentar melhor sorte
em rincões]

mas a estampa de paz
da camiseta
não traz

as informações 
da etiqueta
não contam

e todos compram
a malha fria
da vitrine

e pagam
pela grife
da novela

e se atropelam
em filas e bancas
de promoções

a ignorarem que por trás
das camisetas brancas
existe gente

[negra estrangeira pobre
até menor]

[em condições e meios
de trabalho indignos]

[refém
de lixos luxos e lucros
alheios]

[a reboque]
e o pior:
que por trás
de manequins estáticos
existe gente disponível
[em estoque]

Renata de Aragão Lopes