quinta-feira, 25 de maio de 2017

Sepultura d'um Poeta Maldito

Se, em noite horrorosa, escura, 
Um cristão, por piedade, 
te conceder sepultura 
Nas ruínas d'alguma herdade, 

As aranhas hão-de armar 
No teu coval suas teias, 
E nele irão procriar 
Víboras e centopeias. 

E sobre a tua cabeça, 
A impedi-la que adormeça. 
- Em constantes comoções, 

Hás-de ouvir lobos uivar, 
Das bruxas o praguejar, 
E os conluios dos ladrões. 
Charles Baudelaire

Nenhum comentário:

Postar um comentário